Você já passou pela Síndrome do Regresso?

Você já teve uma experiência no exterior? Sei lá, por 1 mês, 6 meses, 1 ano ou ainda mais… Então, quando você voltou de lá foi fácil a adaptação ao seu ~mundinho anterior~? Ou você foi acometido pela Síndrome do Regresso?

E se você está morando agora ou ainda não morou, mas pretende fazer um intercâmbio por um tempo, aproveite bastante e prepare-se mentalmente para a volta. A depressão pós-intercâmbio é real e acomete muitas pessoas.

Então, nesse post vou falar desse assunto que me “assombra” até hoje: A Síndrome do Regresso.

Ao voltar, o estresse de se readaptar pode ser bem grande. Sintomas de alienação, de se sentir deslocado, isolamento e tédio são comuns em pessoas que retornam a sua terra natal depois de um tempo imersos em outras culturas e línguas. E não pense que essa sensação de “perda” é algo que afete somente brasileiros.

Síndrome do Regresso - crying

Aqui vou destacar 4 pontos relacionados à Síndrome do Regresso:

  1. Você mudou (e muito!)

pretty little liars text pll grow people change

As pessoas ao seu redor não passaram pelas experiências que você passou, assim, não acompanham os seus relatos e as suas aventuras com o entusiasmo que você tem. Você acaba falando sobre a sua experiência com os seus pais, amigos, namorado(a) e comparando quase tudo que acontece na sua vida atual com a sua experiência anterior. Assim, discutir e brigar com algumas pessoas, se sentir frustrado e ser acusado de somente pensar na sua vida no exterior, é algo bem comum para quem morou fora. E essa mudança de identidade que todos passam ao morar em outro país com outra cultura e dinâmica social pode ser percebida como sendo algo muitas vezes esnobe.

2. As pessoas e o país também mudaram

American Idol jennifer lopez idol jlo american idol xiii

Talvez não tenha mudado tanto quanto você , mas quando você volta, muitas coisas aconteceram e você não estava presente. Aniversários, casamentos, familiares, amigos, atores na TV, a cidade que você morava, etc. Você tem que se atualizar e ao mesmo tempo readaptar à realidade brasileira (aos seus preços, aos meios de transporte, ao “jeitinho brasileiro”, etc.).    

3. A novidade é mais escassa que antes

stop hold up pause social justice

No Brasil, por mais que você tenha que passar por esse momento de atualização, você já está acostumado com a dinâmica social. Já em um país estrangeiro muita coisa é nova. O idioma, as relações sociais, a gastronomia, a legislação, os produtos e serviços oferecidos, etc.  E você não tem mais isso na sua realidade diária.

Além disso, você deve ter conhecido e feito amigos de nacionalidades diferentes (bebido drinks diferentes), aumentando ainda mais o seu leque de aprendizados novos durante esse tempo. E agora será muito mais complicado brindar e reencontrar essas pessoas que foram importantes nesse período.

4. As viagens não são tão frequentes 

travel trip driving scenic bare feet

Provavelmente você aproveitou a sua saída do país para conhecer ao máximo o exterior e nesse momento, ao retornar ao Brasil, essa realidade mudou bastante. É mais caro, mais complicado, não há “tanta diversidade cultural” e você tem que ligar com essa saudade de se atirar de casa e conhecer mais o mundo.

E agora?

Esses são alguns pontos relacionados à Síndrome do Regresso, que não é algo ruim. É uma fase pela que você passa ao tentar se adaptar à rotinas anteriores, mas com uma mente mais aberta. Depois de ver outras culturas, outras formas de organização, outras preços e qualidades de produtos, você volta a uma realidade que não te provê o que você tinha acostumado a ter no seu dia a dia.

É uma dor inicial. Depois que a pessoa passa pelo “luto” ela começa a se reorganizar e volta a aceitar, se readaptar e viver a realidade existente. Por mais que sempre tenha aquela pulga atrás da orelha de questionamento e comparação entre as experiências vividas.

Minha Experiência

Eu, por exemplo, todas as vezes que voltei ao Brasil depois de morar um tempo no exterior adorava a volta. Ou melhor, a 1ª semana era ótima, pois estava com saudades dos meus  amigos, da família, da comida, da cultura, etc. Mas aí caía a ficha e passava. Eu não achava graça em nada e já não me “adaptava” muito bem a minha rotina anterior. Tão traumático que eu só pensava em voltar e fiquei nessa de ir e vir do exterior por algum tempo (Olha a Síndrome do Regresso aí…).

Síndrome do Regresso - sad

Onde estava a diversidade de drinks que eu conseguia no Bairro Alto, em Lisboa, Portugal, por $1 euro (~R$4) ? Ou a facilidade e qualidade do transporte público de grande parte das cidades da Europa ? Ou as roupas baratas em lojas consideradas de “luxo” no Brasil? Ou os sucos naturais encontrados em qualquer esquina da Cidade do México por $25 pesos mexicanos (~R$4)? Ou os Biergartens em Munique, Alemanha, com seus espaços abertos para tomar cervejas de 1 litro?

Mas, depois de alguns intercâmbios, estágios e estudos, voltei e já passei pelo “luto” (os lutos), estando readaptado à realidade brasileira!

happy excited how i met your mother neil patrick harris barney stinson

Por mais que muitas vezes bata a saudade de várias coisas do exterior… hehe

Agora vou terminar este post (antes que eu fique nostálgico…) e espero que vocês tenham gostado dele e entendido a Síndrome do Regresso! Deixo aqui um post sobre dicas para amenizar a Síndrome, pode ser bem úteis. (experiência própria hehe!)

E se possuem comentários ou sugestões, não deixem de compartilhar conosco!